Dr. Marcelo Takeshi Ono

O Brasil é o país da cirurgia plástica. Uma cirurgia bem sucedida pode melhorar muito a auto-estima e qualidade de vida dos pacientes. Como tudo na vida, esta benesse deve ser aproveitada com parcimonia, sob risco de sérios efeitos adversos. Sendo assim, obter informação é fundamental.
Saber o que esperar de cada procedimento. Seus benefícios e suas limitações. Somente assim poderá julgar e escolher o procedimento e o profissional mais adequado para ajudá-lo (a).
Nosso objetivo aqui é tentar expor o mundo da cirurgia plástica, sem fantasias e sem milagres.

Dr. Marcelo Takeshi Ono
CRM: 21591 - Paraná
RQE 511
Dr. Marcelo Takeshi Ono
Compartilhe este Anúncio


Anestesia Segura - Tudo o que você precisa saber sobre.
Anestesia - Sem precisar ter medo dela.

O QUE É ANESTESIOLOGIA?
Popularmente chamada de anestesia, a anestesiologia é uma atividade médica que reúne ciência, arte e conhecimento e que consiste em evitar a dor de um paciente que será submetido a uma intervenção cirúrgica.

QUEM É O ANESTESIOLOGISTA?
Anestesiologista é um médico, formado pelas faculdades de medicina reconhecidas e credenciadas pelo Ministério da Educação. Ele é treinado, através de cursos específicos, com muitas horas de aulas teóricas e práticas. A Sociedade Brasileira de Anestesiologia, através de programas e cursos de pós-graduação de 3 anos intensivos, gradua o Especialista em Anestesiologia.
Ele está capacitado a ouvi-lo e a esclarecer-lhe em tudo que você precisa e quiser saber.
Converse com ele abertamente. Fale de suas dúvidas. Peça orientação e siga seus conselhos.

COMO O PACIENTE DEVE SE PREPARAR PARA A ANESTESIA?
O anestesiologista faz parte de uma equipe que concentra informações médicas a respeito do paciente.
É importante que o paciente e sua família conheçam o anestesiologista com antecedência. De qualquer maneira, conte sua história ao anestesiologista: seus hábitos, questões médicas de saúde, medicamentos que você toma ou tomou, reações alérgicas a medicamentos e experiências anteriores com uso de anestésicos. Não deixe de perguntar quais são os exames de laboratório necessários, horário de internação e jejum. Lembre-se: a água está incluída no jejum.
Não deixe de pedir esclarecimento e orientação sobre o tipo de anestesia a que você deverá ser submetido. Isso lhe dará mais segurança e tranqüilidade.
Informe ao médico anestesiologista se você tem doenças como asma, diabetes, hipertensão arterial, insuficiência cardíaca ou infarto do miocárdio.
Raros são os medicamentos que precisam, temporariamente, ser suspensos antes da cirurgia. Quem decide isso é o médico anestesiologista.
Se o paciente usa alguma droga ilícita, como cocaína, crack, maconha, faz uso de estimulantes ou anabolizantes, ou é portador de alguma doença infecto-contagiosa, ele não deve deixar de falar com o anestesiologista sobre isso. Como médico, ele tem obrigação legal de guardar segredo profissional, não só sobre esse assunto, como sobre qualquer outro.
Quanto mais informações você der, melhor!
Com todas as informações a seu respeito, juntos, o anestesiologista e o cirurgião terão melhores condições de realizar seus trabalhos com sucesso.

ANTES
Converse,
Pergunte,
Fale,Crie Confiança.
NÃO ESCONDA NADA DE SEU MÉDICO ANESTESIOLOGISTA!

O DIA
Como é a visita do anestesiologista no dia da cirurgia?
Os pacientes, na maioria das vezes, chegam ao hospital no dia da cirurgia, quando então refazem o contato com o anestesiologista.
Se a operação foi marcada com antecedência, o anestesiologista já deve ter os resultados dos exames necessários, pedidos por ele mesmo ou pelo cirurgião.
Mesmo assim, antes da cirurgia, o anestesiologista fará uma avaliação geral do estado de saúde física e emocional do paciente.
É comum que ele repita perguntas já feitas pelo cirurgião.

O paciente pode escolher o tipo de anestesia?
A escolha da técnica anestésica é de responsabilidade do anestesiologista e é feita a partir das avaliações clínicas realizadas no paciente. Essa decisão será feita em conjunto com o cirurgião e o próprio paciente, que poderá ser submetido a:
A) Anestesia local: uso de anestésico local, aplicado somente no local da cirurgia. A essa técnica anestésica pode ser associado à sedação, onde o paciente dorme, podendo acordar durante o procedimento mas SEM SENTIR QUALQUER DOR OU DESCONFORTO.
B) Anestesia Regional: uso de anestésico local em área de abrangência maior em relação à região do corpo onde será realizada a cirurgia. Exemplos incluem a raquianestesia e anestesia peridural. Essas técnicas anestésicas também podem ser associadas à sedação.
C) Anestesia geral: o paciente fica inconsciente, podendo ser administrada por via endovenosa ou inalatória.

DURANTE
Quanto tempo dura uma anestesia?
O tempo de duração de uma anestesia deverá ser proporcional ao tempo projetado para a intervenção cirúrgica. O anestesiologista poderá manter a anestesia por quanto tempo for necessário, através da administração do anestésico, sem interrupção.

Como é feito o controle do paciente pelo anestesiologista?
O anestesiologista controla todas as funções vitais do paciente, tais como:
A) Nível de consciências
B) Pressão arterial e freqüência cardíaca
C) Freqüência respiratória, saturação sanguínea de oxigênio
D) Volume urinário
E) Atividade muscular

Durante a cirurgia o anestesiologista pode se ausentar da sala?
Não se deve esquecer que a segurança do paciente está condicionada à permanente vigilância. Por isso, o anestesiologista não sai da sala durante uma cirurgia.
Como é a volta do paciente à consciência e à sensibilidade após a anestesia?
O anestesiologista deve observar o paciente até que tenham terminados todos os efeitos relacionados com a anestesia administrada.
Por isso, há um setor específico, onde a maioria dos pacientes permanece após a anestesia e a cirurgia – a Sala de Recuperação Pós-Anestésica (RPA), onde o paciente será observado de maneira contínua.

Sala de Recuperação é sinônimo de complicação?
Não. A Sala de Recuperação permite que o paciente tenha sua pressão arterial, freqüência cardíaca, respiração e nível de consciência observados em intervalos regulares.
O tempo que o paciente fica na Sala de Recuperação Pós-Anestésica tem por finalidade observar a resposta da anestesia em relação ao tratamento instituído. Também são tomadas todas as condutas para evitar qualquer dor no período pós-operatório.
Quando o paciente pode ser liberado para casa sem internação?
No caso de cirurgias ambulatoriais, o paciente tem alta hospitalar com segurança após ter permanecido na Sala de Recuperação por um período de observação. O paciente e seu acompanhante são instruídos em relação a sinais e sintomas que podem ocorrer no pós-operatório.
É FUNDAMENTAL A PRESENÇA DE UM ACOMPANHANTE RESPONSÁVEL NO MOMENTO DA ALTA HOSPITALAR.
A indicação da realização de procedimentos ambulatoriais tem normas próprias, por isso, nem todas as cirurgias podem ser programadas dessa maneira.
Após aalta hospitalar, não deixe de consultar seu anestesiologista sobre quaisquer dúvidas e ocorrências no seu pós-operatório e no período de recuperação. O anestesiologista está sempre disposto a esclarecer suas dúvidas. Se precisar, não deixe de procurá-lo.

Escrito por: Dr Andre Marques Mansano
Anestesiologista – Hospital Israelita Albert Einstein - SP.





Dr. Marcelo Takeshi Ono  Home
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Conheça seu Médico
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Contato
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Links
Dr. Marcelo Takeshi Ono  A Clínica
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Twitter
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Orkut
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Facebook

Dr. Marcelo Takeshi Ono  Cirurgias Plásticas
Dr. Marcelo Takeshi Ono  Informações Essenciais
Av. dos Estudantes, 2034
Ibiporã, Paraná
Cep. 86200-000

Telefones:
(43) 3158-4545
desenvolvido por  Young Studio / MC