Mastopexia com implante com alça muscular

O que significa o termo mastopexia? 

R: O termo se refere a cirurgia de levantar as mamas, incluindo a retirada de pele. Pode ser realizado com ou sem implante de silicone. 

 

No que consiste a cirurgia de mastopexia com implante e alça muscular? 

R: Quando a prótese é colocada em plano submuscular, será preservado uma faixa de músculo (geralmente o músculo peitoral maior) na sua porção inferior e lateral com intuito de oferecer maior apoio ao implante, diminuindo risco de deslocamento lateral e para baixo. 

Implante fica como na figura abaixo. 

O uso da alça muscular em implantes mamários já foi descrita de várias outras formas e recentemente apresentamos a nossa experiência na forma de publicação onde reportamos a nossa padronização pessoal com uso da mesma. 

Assim, nosso trabalho representa uma reorganização de idéias previamente existentes de uma forma sistematizada. (artigo publicado da Plastic and Reconstructive Surgery global open em dez/2019). 

Todas as pacientes podem realizar a alça?

R: Nem sempre. Algumas pessoas, devido variações anatomicas próprias apresentam o musculo muito estreito, não sendo suficientemente amplo para cobrir a parte lateral do implante. Neste caso, lançamos mão da fáscia (estrutura fibrosa e rígida que cobre o músculo serrátil) ou do próprio musculo serrátil (mais lateral no tórax). 

 

E quando é utilizado?  

Usamos preferencialmente em cirurgias de mastopexia com implantes, onde há grande flacidez mamária e é necessário a retirada de pele. 

Também pode ser usado em pacientes que apenas irão fazer o implante sem retirada de pele, mas isso deve ser avaliado pelo seu médico em consulta. 

 

Quais as vantagens do uso da alça muscular? 

São as mesmas vantagens do uso do implante submuscular quais sejam: maior firmeza do implante, melhor cobertura no colo da mama, menor chance de lateralização do implante.

 

Quais as desvantagens da alça muscular?

Os pontos negativos do uso da alça são os mesmos apresentados por qualquer técnica submuscular, quais sejam: maior agressividade da cirurgia pois mobiliza a musculatura, nível de dor pouco mais alto no pós operatório e, caso a paciente possua muito volume mamário, uma parte deve ser retirada pois pode ocorrer queda da glândula mamária na frente do implante (conhecido como efeito em cascata, dupla bolha ou até “nariz do Snoopy” – Snoopy noose effect). Veja esquema abaixo:

Quais as melhores indicações para uso do implante com alça muscular?

Em geral, as melhores candidatas para a técnica são pacientes com intensa flacidez mamária e pouco volume glandular. Isso porque, nestes casos, as outras técnicas podem produzir resultados menos duradouros devido a pouca resistência da pele e não é necessário remover grande quantidade de glândulas mamárias pois as pacientes já não o tem.

Uma outra situação são as pacientes com histórico familiar positivo para câncer de mama e tem muito volume mamário. Nesta situação a redução das glândulas mamárias diminui (mas não elimina) o risco de vir a desenvolver câncer de mama no futuro.

 

Que tipo de cicatriz fica no final com uso da alça muscular?

Na verdade, depende do tipo de cirurgia. Se for somente a inclusão de implantes, a cicatriz será muito pequena, no sulco mamário (média de 4cm). Vale ressaltar que, para usar a alça muscular em implante simples, sem a mastopexia, alguns critérios devem ser preenchidos, não sendo possível nem necessário em todos os casos. 

Se a cirurgia realizada for a mastopexia (retirada de pele), na maioria das vezes termina com o T invertido (cicatriz ao redor da aréola, na vertical e na dobra da mama).